top of page

Gestão Comportamental

O que é a gestão comportamental?


O significado de Gestão Comportamental está completamente ligado ao uso da psicologia e da estratégia como o centro de um gerenciamento de pessoas. Gerir por meio do comportamento é saber encontrar o perfil potencial de cada membro da sua equipe, entendendo o "como" eles agem diante de um ambiente convergente ou divergente.


Diante de um mercado tão competitivo na busca por resultados, levar em conta o perfil comportamental dos colaboradores pode ser o segredo para uma gestão efetiva dentro das empresas.


A gestão comportamental passou a ser um objeto de desejo pelo setor de RH para otimizar o desempenho das equipes. Tudo isso porque há uma estratégia e um planejamento maior, totalmente focado na boa execução das tarefas. E muitas empresas já adotaram esse processo de gestão comportamental, sabendo que a inteligência emocional no trabalho de seus colaboradores tem total influência no desempenho de todos que estão ao seu redor, podendo influenciá-los positivamente ou negativamente.

A gestão comportamental é uma maneira de fazer a gestão de pessoas com foco em seus perfis comportamentais.

Deixar de lado o perfil comportamental do colaborador antes era uma questão de opção devido aos inúmeros métodos e estratégias que precisavam ser adotadas para conseguir lidar com cada um dos funcionários. Muitas vezes, quem faz o processo seletivo se preocupa mais em valorizar as habilidades técnicas do que analisar o perfil do candidato e se seu fit cultural está adequado.


E essa mudança do setor de RH, assumindo cada vez mais um papel fundamental no planejamento estratégico das empresas, deixando de lado processos apenas burocráticos, contribui cada dia mais com uma revolução das empresas que estão se preocupando mais em minimizar os erros e serem mais assertivas.


Quando surgiu o método?


A Gestão Comportamental surgiu em 1950 a partir das teorias criadas pelos estudiosos Maslow e Herzberg sobre motivação, objetivos e o comportamento humano individual e em conjunto. Desde então, essa estratégia vem sendo implementada em muitas empresas e hoje faz uma enorme diferença no ambiente organizacional. Esse método, cada vez mais, vem aumentando a motivação e a produtividade dentro das empresas.


Como adotar gestão de comportamento na minha empresa?


Para que a gestão comportamental seja eficaz ela precisa ser aplicada não só para colaboradores que são liderados, mas também é importante que seja feita uma análise do perfil comportamental dos líderes.


Estes, por sua grande responsabilidade de estar à frente das equipes, têm um grande poder de influência sobre os colaboradores. Outro detalhe fundamental da gestão comportamental é o desafio de encontrar uma metodologia eficaz e transparente para mensurar de forma correta as forças, fraquezas, habilidades e principais necessidades de cada colaborador.


A grande pergunta é: como posso adotar a gestão comportamental na minha empresa?

Preparamos alguns tópicos que podem ser a base para que sua empresa a partir de hoje possa implementar uma gestão baseada no comportamento de seus colaboradores.


1. Crie diálogo entre a sua equipe


A gestão comportamental está interligada a todo e qualquer tipo de perfil comportamental do colaborador seja ele influenciado por problemas e tensões profissionais, como por questões pessoais.


Cabe ao setor de RH conversar com seu colaborador e tentar avaliar as possibilidades para ajudá-lo a sanar os problemas. Criar diálogos e abertura para que o colaborador se sinta importante no ambiente em que está inserido é um dos grandes diferenciais para mantê-lo engajado e mais feliz para desempenhar sua função.


Prevenir desgastes de relação entre os membros da empresa e estimular os colaboradores a agirem de forma positiva para criar um ambiente leve e saudável pode criar um diferencial positivo no dia a dia da empresa para que todos estejam engajados e dispostos para desempenharem o melhor, dando seu 100%.


Já pensou em envolver mais seus funcionários e motivá-los com encontros descontraídos fora do ambiente de trabalho ou até mesmo em dinâmicas internas que proponham o diálogo entre eles?


Esse é um bom modelo de gestão comportamental para que as tensões do dia a dia sejam diminuídas e os problemas sejam mais facilmente solucionados pela boa relação dos colaboradores.


Se você quer mudar o ambiente da sua empresa, pense hoje sobre o que você vem fazendo de diferente para motivar seus profissionais, pequenos ajustes às vezes podem fazer toda a diferença no desempenho diário da equipe.


2. A gestão comportamental nos processos de seleção


No mercado atual com tantos profissionais disponíveis e competindo por uma única vaga, as chances do setor de RH cometer um erro na hora de efetuar uma contratação é muito grande.

Cerca de 14% das contratações realizadas somente com base em uma boa entrevista, obtiveram êxito.

Porém, quando há um planejamento e uma estratégia para definir o perfil que você realmente busca para a sua empresa, minimiza os erros e torna os processos de recrutamento mais assertivos.


E esse processo só é possível através de uma gestão comportamental que avalia todas as características exigidas para a vaga. E também dá uma visão ampla do perfil comportamental do profissional que está participando do processo de seleção. Além disso, mostra se ele é adequado para exercer a função com qualidade e executar as tarefas que lhe serão repassadas.


3. Gestão comportamental no mapeamento de perfil


Para conseguir desempenhar um bom papel de gestão comportamental dentro da sua empresa é preciso que você trace um perfil comportamental de todos os colaboradores.

Quando você conhece as forças e fraquezas do seu funcionário você tem uma visão mais ampla para distribuir tarefas, realizar promoções e realizar um planejamento mais assertivo, em cima das características de cada um dos seus colaboradores.


Mapear o perfil comportamental da sua empresa é conseguir deixá-la mais eficiente e com um nível de produtividade de alta performance, já que todos os colaboradores estarão devidamente adequados aos trabalhos que lhe correspondem. O setor de RH tem por obrigação, se quiser estar à frente desse mercado competitivo e na retenção de talentos, implantar uma metodologia eficaz de perfil comportamental.


Uma das mais utilizadas no mercado atual é metodologia DISC que se baseia na Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. O DISC é muito válido, porém é somente a "porta de entrada" do mapeamento de perfil.


4. Avalie os resultados


Mensurar resultados é uma forma que também está dentro de uma gestão de comportamental. Diante de uma análise concreta do desempenho é possível apontar ao próprio colaborador sobre quais foram seus comportamentos em determinadas ações e qual é o comportamento ideal na realidade da empresa.


Dar feedback aos funcionários é um grande diferencial para que comportamentos sejam ajustados e consequentemente resultados sejam alcançados. Um processo de gestão de comportamental conduzido pelo setor de RH consegue mensurar todas as reações positivas e negativas do colaborador sobre as tarefas que lhe foram confiadas.


Gestão comportamental e suas regras


Muitas empresas se adaptam às mudanças, mas não fogem de suas regras e rotinas. A gestão comportamental dentro desse modelo é bem estabelecida e o colaborador contratado já sabe o ambiente em que será inserido e como terá que se adaptar para agradar o seu gestor.


Nesse método específico o gestor estabelece metas específicas, que seguem um padrão de produção organizado e metódico. A gestão comportamental aqui se insere em um universo já planejado e normalmente o setor de RH já tem bem claro o tipo de perfil que precisa admitir e que adapta a essa rotina.


Lógica da gestão comportamental


Imagine se um colaborador conseguisse sempre mensurar os resultados de seus atos, de seu comportamento, positivo ou negativo, diante das situações que se apresentam a ele. A gestão comportamental nesse caso se dá por uma construção lógica dos fatos determinado pela empresa. O colaborador consegue mensurar o resultado de seus comportamentos e ações, e, de alguma forma se limita a não ter atitudes que irão prejudicar a empresa.


Questões pessoais na gestão comportamental


A gestão comportamental de alguma forma exige dos gestores, em muitos casos, um pouco de “experiência pedagógica”, já que lidar com o comportamento das pessoas não é tarefa fácil, devido as individualidades de cada um. E o cenário da gestão comportamental não se limita apenas ao ambiente empresarial e profissional.


O gestor de pessoas precisa levar em conta que muitas vezes o colaborador pode estar influenciando seus comportamentos devido a reações por questões pessoais. Nesse método de gestão comportamental o líder oferece maior autonomia aos seus colaboradores. Assim, ele tem o poder de autoavaliar seu desempenho e comportamentos diante da equipe e, consequentemente, ajustá-los conforme suas obrigações.


Gestão comportamental pode ajudar em processos de mudança


Mudar, mudar e mudar. A gestão comportamental precisa estar inserida em um contexto de mudanças constantes. Toda empresa de uma maneira ou outra costuma adotar pequenas mudanças no dia a dia que exigem adaptação dos colaboradores. Mas para que uma transformação ou mudança não seja tão traumática é preciso que o setor de RH ou próprio líder de equipe tenha em mãos o perfil comportamental de cada um dos seus colaboradores.


Assim, eles podem mensurar quais serão as reações de cada um diante das novidades.

Por isso, os profissionais de RH precisam estar atentos para dar total apoio tanto para que o colaborador mude seu comportamento diante do ambiente que está inserido, melhorando seu desempenho, como para apoiá-lo diante de mudanças que estão sendo planejadas, para que ele consiga se adaptar rapidamente.


Função do líder na gestão comportamental


Um dos principais modelos de influência da gestão comportamental é o do exemplo. Um antigo provérbio dizia: “As palavras ensinam, mas os exemplos arrastam”. E mesmo depois de tanto tempo em que foi dito isso, a realidade é a mesma.


Líderes que têm uma atitude positiva e que se mostram efetivos e dispostos a sanar problemas, sempre atentos às necessidades dos membros de sua equipe, tendem a possuir equipes mais engajadas, dispostas e felizes.


E essa consequência, obviamente, é positiva não só no ambiente e no relacionamento da equipe, mas no alcance de bons resultados. Se um gestor tem atitudes bruscas, com condutas negativas, ele tende não só a perder um colaborador, mas uma equipe inteira, já que a reação negativa de um dos funcionários pode fazer com que toda uma estratégia desande e que consequentemente um projeto seja fracassado.


Importância da gestão comportamental


Diante de exemplos de como a gestão comportamental é uma poderosa ferramenta nos processos das empresas, concluímos que essa estratégia se tornou uma realidade.

Empresas que buscam ser competitivas no mercado que estão sempre em busca de novidades para gerir bem sua equipe, mantendo-a engajada e atuante.


Seu funcionário não é bom em alguma coisa? Isso não é problema se você se utiliza um processo de gestão comportamental, onde tem em mãos uma análise de perfil comportamental de todos os seus funcionários e sabe bem sobre suas forças e fraquezas.


A gestão comportamental não é uma mágica que se ajusta a uma realidade num estalar de dedos. A aplicação de uma metodologia como essa exige muito empenho e trabalho dos profissionais envolvidos.


Eles se tornam responsáveis por mensurar erros e acertos e se tornam peças essenciais para influenciar mudanças satisfatórias de comportamento dos colaboradores. Tudo o que as empresas mais querem é um bom ambiente de trabalho, com pessoas felizes e engajadas no desempenhar de suas funções.  


E a gestão comportamental é uma metodologia eficaz para otimizar os resultados e minimizar os erros de escolha em admissões, demissões e promoções. Você já implantou a gestão comportamental na sua empresa? Se ainda não, pare hoje para pensar e analise todos os benefícios desse efetivo sistema nos processos, desempenhos, e resultados da empresa.


Quais são os seus benefícios?


Até aqui, já falamos sobre a gestão comportamental e alguns de seus impactos no negócio. Mas o que os empresários e altos gestores precisam saber para entender a importância dessa abordagem é quais são os benefícios reais e tangíveis que ela gera. Segue alguns dentre vários benefícios para o seu negócio e equipe:


Valorização do capital humano


O primeiro benefício de quando o RH aplica a Gestão Comportamental na empresa é a valorização dos colaboradores. Entendendo o perfil de cada um deles, como eles são, o que buscam e o que precisam para alcançar um bom desempenho no setor de Recursos Humanos, você consegue planejar ações, treinamentos, planos de carreira visando exatamente o que o colaborador precisa.


Isso faz com que ele se sinta valorizado, sabendo que a empresa entende seu perfil e busca pelo seu desenvolvimento, reconhecendo todo o seu empenho!


Recrutamento e seleção


Utilizar a Gestão Comportamental no processo seletivo da sua empresa faz com que você tenha um recrutamento e seleção mais assertivo. É importante que você mapeie qual o perfil ideal para a vaga e assim busque candidatos que tenham as competências comportamentais que estão sendo esperadas.


Com isso, o seu setor de RH consegue encontrar as pessoas certas para as vagas, otimizando o tempo do processo seletivo!


Produtividade


Conhecer o perfil comportamental dos colaboradores também vai te ajudar a aumentar a produtividade na empresa. Isso porque se sentindo valorizados, estando nos cargos certos e com uma empresa que conta com um ambiente agradável, o desempenho dos profissionais é melhor.


O RH também pode aplicar avaliações de desempenho, entendendo como o colaborador tem se desenvolvido e o que pode fazer para que sua performance seja cada vez melhor.


Retenção de talentos


Aplicar a Gestão Comportamental no seu RH é importante para diminuir a taxa de rotatividade da empresa. Entendendo os colaboradores, o que eles buscam e se eles estão no cargo certo, fica muito mais fácil reter os talentos da empresa. Diminuindo o turnover, você reduz custos gerado por novas contratações e aumenta o desempenho e a produtividade da empresa.


Melhora o clima organizacional


O clima organizacional determina a satisfação dos colaboradores com seu ambiente de trabalho. A qualidade das relações interpessoais exercem forte influência nessa questão, pois são elas que constroem a cultura organizacional e definem os comportamentos coletivos dos profissionais.


Uma gestão comportamental bem realizada utiliza os pontos de cada colaborador como ferramenta de melhoria e questões a desenvolver. Esse equilíbrio de forças aproxima as pessoas e criam um ambiente mais colaborativo. Os times passam a atuar de forma conjunta na solução de problemas e o clima organizacional se torna muito mais leve e agradável.


Permite um alinhamento da gestão com a cultura organizacional


A cultura organizacional está diretamente ligada ao comportamento dos colaboradores. O alinhamento da gestão de pessoas com as diretrizes de valores da empresa é fundamental para o fortalecimento do negócio. Uma cultura forte gera satisfação e motivação, que, consequentemente, gera engajamento e aumento de produtividade.


O papel da gestão comportamental nisso tudo é promover o conhecimento mais detalhado de cada um e como isso interfere no todo. Desde a aquisição de talentos mais adequados aos valores da organização até o desenvolvimento de ações de retenção de talento com foco direcionado para as necessidades reais das pessoas. 


Reduz o turnover


Um grande problema que ocorre em empresas que não fazem gestão comportamental é que elas admitem pelo currículo e demitem pelo comportamento. Qualidades técnicas não são mais suficientes para manter um colaborador no time e isso aumenta o turnover.


Com a ajuda da identificação dos perfis comportamentais, fica muito mais fácil compreender a demanda de cada equipe e encaixá-la nos requisitos do processo de recrutamento e seleção. Aliam-se as qualidades técnicas com o fit cultural e as chances de um dos lados se frustrar são mínimas.


Economiza recursos


Não poderia faltar o assunto mais importante para empresários e gestores de alto escalão: redução de custos. Processos seletivos custam dinheiro e rescisões podem custar ainda mais. Pense no quanto de esforços, tempo e investimentos financeiros são desperdiçados quando uma pessoa inadequada é contratada. Se a demissão vier dentro de 6 meses, é como se todo o trabalho desenvolvido nesse tempo fosse jogado fora.


O investimento em melhorias nos processos e na gestão mais eficiente de pessoas atua na solução desse tipo de problema em sua raiz. Os gestores de área têm mais clareza do tipo de profissional que precisam em sua equipe, e o RH tem um direcionamento mais preciso do que deve buscar e avaliar nos candidatos.


No cotidiano, as avaliações de desempenho ajudam a manter os profissionais motivados, de acordo com seus perfis comportamentais e resultados apresentados. A oferta de cursos e treinamentos é focada nas melhorias mais relevantes, que aliem as demandas da empresa e dos profissionais.


A RHEIS Consulting possui soluções com metodologia e tecnologia de alta confiabilidade para lhe auxiliar na gestão comportamental, consulte-nos.


 

Sugestão de Livros:

Posts recentes

Ver tudo
Quero Ensino Logomarca PNG.png

Cursos EAD reconhecidos pelo MEC com 50% OFF.

 
bottom of page