top of page

O que é Liderança

Segundo o professor Idalberto Chiavenato, liderança é a influência interpessoal realizada em uma ocasião e por meio do processo de comunicação humana para alcançar um ou mais objetivos específicos. Essa definição traz dicas fundamentais para uma liderança assertiva. Observe:


  • Liderança é influência interpessoal: isso significa que liderar não é mandar, mas influenciar as pessoas a realizarem suas tarefas dentro dos padrões definidos pela empresa;

  • A liderança é realizada por meio de um processo de comunicação: por isso, a forma de comunicação da liderança tem impactos definitivos sobre a equipe e os resultados alcançados;

  • A liderança é exercida para alcançar objetivos: então, os objetivos devem ser claros e específicos para que as pessoas possam realmente se comprometer e se empenhar para alcançá-los.


Líder é qualquer pessoa que desempenha a liderança. A liderança é exercida em toda a empresa e fora dela também. O sucesso de uma empresa depende do desempenho de seus colaboradores e, portanto, da eficiência da gestão de pessoas e equipes. Por isso, exercer bem a liderança é fundamental para que seu empreendimento se mantenha no mercado e consiga crescer. Este artigo mostra por que o preparo e o autoconhecimento do líder são tão importantes para alcançar os objetivos e as metas determinados para a empresa.

Liderança é a habilidade que uma pessoa possui em transformar indivíduos em uma equipe competente e guiá-los em direção a um objetivo comum. (Mike Reis, CEO Rheis Consulting).

Pra que serve a Liderança?


Atualmente, a liderança é um dos principais desafios para os empresários e pessoas que ocupa cargos de gerência. O cenário empresarial necessita de líderes qualificados e preparados que conduzam adequadamente as empresas e suas equipes para atender às exigências de qualidade, produtividade e competitividade nos negócios.


O trabalho de um líder é conduzir uma equipe da melhor maneira possível. Não é interessante que ele resolva tudo sozinho, mas que ele inspire seus seguidores a fazer seu trabalho o mais objetivamente possível. Bons líderes reconhecem que eles não possuem todas as soluções para todos os problemas e estão em constante aprendizado de como gerenciar seu time com reforço positivo, boa comunicação e visão.


Para atender essas exigências, você, empresário e/ou líder, deve investir e cuidar da qualidade das relações no ambiente de trabalho, desenvolver as pessoas que formam a sua equipe, colaborar para a motivação delas e aprimorar sua comunicação. E, para fazer tudo isso, os primeiros passos são entender o que é ser líder, compreender o que significa ter liderança e conhecer bem qual é seu papel como líder.


Estilos de Liderança


Existem vários autores que definem alguns estilos de liderança, tais como: autocrática, democrática, liberal, leader coach, situacional, transacional, servidora etc.


A RHEIS Consulting, em seus processos de desenvolvimento e aperfeiçoamento de liderança, aborda oito estilos de liderança que se encaixam com os estilos citados anteriormente, porém, nós utilizamos outras nomenclaturas. Iremos fazer um breve resumo de cada estilo, a saber:


  • Condutor: Mais orientado para resultados, senso de urgência e agente de mudanças;

  • Persuasor: Orientado mais para processos, rápido para mudar;

  • Inspirador: Habilidade para lidar com pessoas, projeta um alto nível de confiança;

  • Relacional: Bom apoiador, cooperativo, sensível ao sentimento do outro;

  • Apoiante: Conciliador, não gosta de confrontos, bom ouvinte;

  • Coordenador: Autodisciplinado, orientado mais para o produto;

  • Analítico: Preciso, exato, preocupado mais com a qualidade, e;

  • Implementador: Criativo, começa devagar e termina rápido.


Cabe lembrar que não existe estilo melhor do que o outro. Às vezes um líder pode ter alguns estilos combinados.


A seguir iremos tratar os tipos ou estilos de liderança que são utilizados, geralmente, no meio acadêmico e corporativo, a saber:


  • Autocrática;

  • Liberal;

  • Democrática;

  • Coaching.


Segue abaixo com mais detalhes:


1. Autocrática


O foco dessa liderança é no próprio líder. Na liderança autocrática, o líder centraliza totalmente a autoridade e as decisões, e os subordinados não têm nenhuma liberdade de escolha. A figura do “chefe” se sobressai e as pessoas recebem ordens, com pouco espaço para questionamentos ou sugestões.


Características: O líder autocrático costuma ser dominador, emitir ordens a espera de uma obediência cega dos colaboradores, além de ser temido pelo grupo - que só trabalha quando ele está presente.


Os grupos submetidos à liderança autocrática costumam apresentar um maior volume de trabalho, com evidentes sinais de tensão, frustração e agressividade e, em função disso, costumam ter insatisfação, falta de motivação e uma propensão a gerar conflitos entre os colegas.


2. Liberal


Ao contrário da autocrática, este estilo de liderança tem ênfase no liderado. O líder permite total liberdade para a tomada de decisões individuais ou em grupo - participando delas apenas quando solicitado. A liderança liberal enfatiza somente o grupo. Dessa forma, as pessoas tendem a exercer atividades mais intensas pela liberdade observada.


O líder só ajuda quando solicitado, confiando plenamente no trabalho do liderado. Ele parte do pressuposto de que os colaboradores são maduros o suficiente e estão aptos a desempenhar as suas tarefas, sem a necessidade de um acompanhamento constante. Por isso, com o passar do tempo, e sem a necessidade de prestar contas, o grupo tende a oferecer baixa produtividade e um certo individualismo no seu desempenho.


Características: O comportamento do líder é evasivo e sem firmeza. Os grupos que estão submetidos à liderança liberal não apresentam bom resultado quanto à quantidade e nem quanto à qualidade do trabalho.


Sinais da liderança liberal na equipe:


  • Fortes indícios de individualismo;

  • Desagregação;

  • Insatisfação;

  • Agressividade;

  • Pouco respeito ao líder, que é ignorado pelo grupo.


3. Democrática


Esse é um estilo de liderança interessante na gestão de qualquer negócio. Neste modelo, o líder se torna um facilitador do processo, ajudando os colaboradores a executarem bem as suas tarefas e priorizando um clima agradável de trabalho. Ele se preocupa com a execução do trabalho em si, mas também com a qualidade de vida e satisfação da sua equipe de trabalho.


Características: O líder é bastante participativo e atua para orientar o grupo, ajudando-o na definição dos problemas e nas soluções, coordenando atividades e sugerindo ideias. Ele interage bem com a equipe e com os indivíduos, encoraja a participação das pessoas e se preocupa igualmente com o trabalho e com o grupo.


Os grupos submetidos à liderança democrática apresentam boa quantidade e melhor qualidade de trabalho. Esse resultado ainda vem acompanhado de um clima de satisfação, integração, responsabilidade e comprometimento das pessoas.


4. Coaching


Este é um estilo de liderança bastante atual, onde a performance dos liderados está em foco. O líder exibe um verdadeiro interesse pelo aumento da performance dos seus subordinados, acompanhando a evolução de cada um, incentivando-os e dando feedback constantes para manter as pessoas motivadas e alinhadas em sua atividades.


Características: O líder busca manter seus colaboradores sempre motivados, promove criar um ambiente de trabalho agradável, com um clima de cooperação e confiança e estimula uma visão positiva do futuro na equipe de trabalho, primando pelo desempenho de cada indivíduo.


Como escolher o tipo de liderança ideal?


Além desses quatro tipos de liderança, existe ainda a liderança situacional. Um gestor pode escolher um estilo de liderança de acordo com algumas situações. Essa liderança pode variar conforme:


  • A tarefa a ser executada;

  • As pessoas;

  • A situação.


Na escolha por esse tipo de liderança, o foco está na maturidade do liderado em relação à uma determinada situação. Logo, o gestor eficaz tanto manda cumprir ordens como sugere aos subordinados a realização de certas tarefas, ou ainda os consulta antes de tomar alguma decisão. O desafio está em saber quando aplicar cada estilo, com quem e em que circunstâncias.


A prática da gestão pode ser alterada de acordo com as diferentes situações. No universo corporativo, existem duas formas mais comuns: a liderança transacional e a liderança transformacional.


1. Liderança transacional


Neste tipo de liderança, o gestor se comporta como chefe e não como líder. Suas táticas são pautadas principalmente pela obediência às regras e cumprimento das metas estabelecidas, além de seguir a ideia de recompensa proporcional ao desempenho. Este é um gestor que não se preocupa em compreender as motivações de sua equipe ou em antecipar-se aos problemas, ele apenas segue o fluxo e cumpre demandas.


2. Liderança transformacional


Este conceito de liderança define o comportamento do líder ideal: um gestor que estimula a alta performance de seu time, pautando-se em influência, inspiração, exemplo e motivação. Neste caso, os pilares de liderança são fundamentados na confiança, respeito, colaboração e comprometimento.


O líder transformacional conhece as motivações individuais de seus liderados, compreendendo o perfil de cada um e desenvolvendo suas estratégias de acordo com isso. Ele sabe desfrutar o potencial de sua equipe de maneira plena e manter a sincronia de contratante e contratados, garantindo o alcance de resultados satisfatórios para todos.


Liderança como habilidade


Liderança pode ser aprendida? A resposta é curta: “Sim”. Porém, outras questões derivam desta pergunta. A resposta mais apropriada é “Sim, porém...”


1. Inato x Adquirido


Liderança pode ser aprendida. Trata-se de uma coleção de qualidades, características e habilidades sociais que podem ser catalogadas, estudadas e, consequentemente, ensinadas. A questão é a mesma como a de diversos casos de predileção. Algumas pessoas possuem afinidade desde a infância com matemática e raciocínio lógico, outras possuem talento inato com artes e expressões abstratas.


Em alguns casos, habilidades sociais são mais facilmente desenvolvidas em certos indivíduos e estes, tendem a liderar naturalmente. O que, definitivamente, não significa que alguém que nasça com (ou adquira cedo) estes talentos, possui garantia de ser um grande líder.


A expressão “Líder Nato” precisa ser discutida. Culturalmente, palavras como ‘talento’, ‘gênio’, ‘natural’, ‘sem esforço’, precisam ser discutidas. A cultura de empreendedorismo se mistura, frequentemente, com segmentos de auto ajuda e motivação. Diversas literaturas sugerem que os grandes líderes da histórica são assim desde o berço e é como se eles fossem escolhidos por alguma entidade religiosa para serem bastiões da liderança na história da humanidade. O que não é, exatamente, o caso. Angela Merkel, atual chanceler da Alemanha, quase foi desconsiderada como candidata, por não ser considerada suficientemente carismática. É importante se lembrar que “líder” não se trata de um arquétipo único.


Identificar qual o nicho de atuação de seu gestor, irá lhe ajudar a entender que tipo de personalidades funcionam melhor. Mas mais importante que isso: Entender o contexto de gestão lhe mostrará quais qualidades procurar, sejam elas nativas ou aprendidas.


Portanto, a liderança é uma habilidade que se desenvolve nos desafios impostos pelo dia a dia empresarial e deve ser aprimorada de forma contínua. Por muito tempo, as pessoas acreditaram que o líder nascia pronto. Mas diversos estudos sobre a capacidade de liderar comprovam que todos podem exercer a liderança, desde que tenham disposição para aprender e se desenvolver. Por essa razão, se você quer desenvolver e aprimorar sua liderança, o primeiro passo é olhar para você!


A importância do autoconhecimento


Os líderes precisam estar preparados para lidar com diferentes cenários, pois a empresa e os desafios evoluem e mudam, e assim surgem novas situações e pessoas para acompanhar a dinâmica dos negócios. Nesse contexto, é fundamental que o líder tenha autoconhecimento, ou seja, adote a prática de se conhecer cada vez melhor.


Apenas com autoconhecimento o líder será capaz de compreender suas atitudes. E essa compreensão é fundamental porque as atitudes do líder influenciam a equipe e contribuem para o sucesso dos projetos. As pessoas que estão na equipe sentem os efeitos da atitude do líder no dia a dia da empresa.


Quando o líder realmente acredita no projeto, a equipe também acredita. O líder é a referência e as equipes replicam suas atitudes nas relações internas de trabalho e também nas relações externas com clientes e fornecedores.

As atitudes positivas são tão contagiantes quanto as atitudes negativas. Ambas são irradiadas pelos líderes em suas equipes.

Quando o líder tem autoconhecimento, ele é capaz de ter autocontrole. E o exercício diário da disciplina e do autocontrole é essencial para que o líder aja de maneira coerente com a equipe. O autocontrole é o controle sobre si mesmo, é o domínio sobre seus próprios impulsos e emoções.


A linguagem corporal


Sua linguagem corporal transmite seus impulsos e emoções e, muitas vezes, é mais forte e evidente do que suas palavras. Por isso, para ser um bom líder, é necessário cuidado com a informação que sua linguagem corporal transmite.

Tenha uma postura segura e confiante. Falar com segurança e ter uma postura insegura transmite conflito de informações para sua equipe.

Sua postura como líder influencia o comportamento dos liderados e interfere na cultura da empresa. Por isso, liderança exige atenção e reflexão. Tenha confiança e seja verdadeiro e honesto ao transmitir uma mensagem à equipe. A mensagem representa 7% de impacto na comunicação; a entonação de voz, 38%; e os gestos e as expressões, 55%.


Esses números mostram por que a postura do líder gera impacto na comunicação, visto que a equipe se lembrará da fisionomia e dos gestos apresentados pelo líder ao transmitir uma mensagem. Além da linguagem corporal, existem outros pontos aos quais o líder deve se atentar.


A proximidade com a equipe


O líder precisa estar próximo de sua equipe, compreender seu contexto, conhecer as pessoas, suas potencialidades e suas dificuldades. A proximidade é uma prática eficaz na liderança por ser elemento-chave para a influência, assim como a comunicação clara das metas.


Ao colocar essa proximidade em prática, o líder é capaz de:


  • Definir os rumos da equipe e da empresa;

  • Agir para que os objetivos e princípios sejam conhecidos, compreendidos, aceitos e incorporados pela equipe.

A liderança se desenvolve na prática do dia a dia. Como o contexto empresarial é dinâmico, você também precisa se manter em constante desenvolvimento. Aprimore e aperfeiçoe o tempo todo a habilidade de liderança!

Três dimensões da liderança


Para obter melhores resultados na gestão da equipe, o líder deve ter clareza do que precisa para o autodesenvolvimento das competências, atitudes e habilidades de liderança. Com isso, estará preparado para direcionar a equipe e a empresa nas diversas situações apresentadas no atual ambiente de negócios.


Uma forma de identificar o que é necessário para desenvolver suas competências de líder é realizar uma análise com base em três dimensões: empresa, equipe e pessoal.


A dimensão empresa se refere às informações e conhecimento do negócio. Nela, o papel do líder é estratégico e visionário. Ele deve se preparar para definir as estratégias de atuação da empresa no mercado. Para isso, o líder deve saber:


  • as soluções ou as necessidades que sua empresa atende e a quem atende;

  • o tipo de tecnologia necessária;

  • os objetivos que se deseja atingir;

  • as mudanças que ocorrem no setor de atuação da empresa.


A dimensão equipe se refere à forma de interagir e estimular a participação das pessoas. Nela, o papel do líder é ser agregador. A essência da liderança está nessa dimensão porque é aqui que o líder exerce seu poder de influência, por sua forma de comunicar e interagir com as pessoas, gerando o comprometimento e a confiança necessários para o trabalho em equipe.


A dimensão pessoal reforça o valor do autoconhecimento. O papel do líder é ser protagonista do seu desenvolvimento pessoal e profissional. Nessa dimensão, espera-se do líder a prática de comportamentos que sejam admirados pelas pessoas com as quais se relaciona.

A liderança se fortalece mais pelo exemplo do que pelas palavras. Portanto, ser coerente é um comportamento esperado para um líder. O comportamento do líder deve refletir seus anseios e propósitos.

As competências do líder


Não é possível determinar de maneira definitiva quais são as competências necessárias ao líder porque os contextos de sua atuação são diversos. No entanto, existem competências que favorecem a eficácia da atuação do líder, independentemente do porte da empresa, do setor de atuação, do tempo de existência do negócio e do número de pessoas na equipe. Veja quais são essas competências!


Você pode melhorar sua prática de liderança adotando as seguintes condutas: comunicar-se com clareza; planejar e monitorar resultados; resolver conflitos; ouvir as pessoas e observar condutas; atribuir metas e objetivos comuns; trabalhar em equipe; delegar.


A prática da liderança é um processo de amadurecimento que se inicia em você e em sua autopercepção. Por isso, reconhecer o estilo de liderança predominante em sua conduta como líder é um importante passo para o autodesenvolvimento e para compreender como gerenciar suas equipes de forma eficaz.

Agora que você já tem mais informações sobre liderança, reflita a respeito dos estilos de liderança e faça uma análise sobre suas práticas como líder. Identifique os aspectos que você precisa desenvolver!

1. Comunicação


A essência da liderança está em dois instrumentos poderosos: a influência e a comunicação do líder. A comunicação faz parte das competências de um líder e, assim como a liderança, é uma habilidade que pode ser aprendida, desenvolvida e aprimorada. A palavra comunicação vem do latim communicare e significa “dizer, partilhar, repartir, trocar opiniões, tornar comum”.


O líder precisa estar próximo de sua equipe para compreender seus interesses, dificuldades ou anseios. Com isso, ele pode adotar estratégias de comunicação mais eficazes para alcançar objetivos definidos e para minimizar resistências e dúvidas em sua equipe de trabalho.

A comunicação é um instrumento poderoso e muito delicado. Quando bem dirigida, ela estabelece sinergia entre as pessoas, torna-se uma ação transformadora e difunde a empatia no ambiente de trabalho. Os líderes que estabelecem comunicação clara, objetiva e segura têm mais possibilidade de serem bem-sucedidos em suas ações dentro e fora da empresa.

As atitudes do líder influenciam a equipe. Nesse sentido, atitude coerente também é comunicação! É pela comunicação que o líder:


  • expõe os direcionamentos para a equipe;

  • compartilha objetivos que devem ser alcançados;

  • ressalta o quanto todos podem ser beneficiados se os objetivos forem alcançados;

  • orienta sobre os novos rumos adotados pela empresa diante de mudanças;

  • estimula um ambiente produtivo e participativo, proporcionando espaço para que a equipe possa falar;

  • sobre os problemas ou dificuldades em suas tarefas;

  • menciona sugestões de melhorias que vão influenciar a qualidade e a produtividade no ambiente de trabalho.


2. Promover identificação e autonomia


Os momentos de interação são importantes para o fortalecimento da equipe, pois há troca de experiências e aprendizados sobre situações ocorridas no dia a dia da empresa. Nesses momentos, você, líder, pode prover a satisfação e o engajamento de sua equipe, porque as pessoas verão sentido nas atividades que exercem.

Quando as pessoas se sentem parte integrante do ambiente da empresa, há um aumento significativo da produtividade e da qualidade dos produtos e serviços oferecidos aos clientes!

Fazer parte de uma empresa que tem valores como respeito, ética e transparência aumenta a realização no trabalho. Para isso, os colaboradores devem compreender os comportamentos esperados, o propósito e a missão da empresa. As pessoas sentem-se muito mais satisfeitas e engajadas quando percebem sentido no trabalho que executam.


Outro ponto que contribui para que o colaborador se sinta realizado no trabalho é a autonomia, porque ela demonstra ao colaborador que o líder confia no trabalho dele. Quando não está satisfeito com a empresa, o colaborador procura outra empresa na qual possa colocar em prática suas habilidades e competências.


3. Demonstrar confiança e reconhecimento


Compartilhar responsabilidades com os colaboradores reforça a confiança do líder em relação a sua equipe de trabalho. Reconhecer e agradecer a dedicação e o empenho da sua equipe faz parte da liderança!


Para desenvolver o processo de comunicação com sua equipe é importante:


  • ouvir com atenção as sugestões e as contribuições dos colaboradores;

  • apoiar as decisões tomadas por eles;

  • questionar os colaboradores sobre o que pode ser melhorado, tomando por base o que já é feito.


O líder deve ter a habilidade da empatia: se colocar no papel do colaborador e se esforçar para compreender o ponto de vista, as dúvidas e as considerações a respeito das tarefas realizadas por aqueles que trabalham com ele.


Quando os colaboradores percebem que você os escuta, eles ficam à vontade para falar o que pensam e sentem, para mostrar suas ideias, considerações, pretensões e sugestões. Quando isso ocorre, o colaborador espera do líder um posicionamento sobre o que foi apresentado e orientações sobre o que pode ser melhorado nas atividades do ambiente de trabalho.


4. Respeito


Procure por alguém que demonstre respeito por sua equipe e colegas de trabalho. Intimidações e abusos são ferramentas que podem até funcionar para se conseguir algo em curto prazo, mas que irá trazer problemas, muitas vezes gravíssimos, eventualmente.


O guia completo para liderança de equipes sugere que você procure alguém que empodere sua equipe ao invés de intimidá-la. Delegar atividades. Este item frequentemente é ignorado. Ao avaliar um possível gestor, poderá se impressionar com a sua capacidade de tomar iniciativas e ser eficiente em diversas funções. Muitos destes candidatos querem se provar capazes e conquistar as maiores glórias, mas não se engane. Esta não é a sua função. Um líder precisa ser capaz de distribuir sua liderança e delegar atividades de maneira que sua equipe funcione de modo harmonioso e colaborativo.


5. Outras qualidades


Além destas qualidades recomendadas, foque sua atenção nas seguintes características: Justiça; Integridade; Empatia; Habilidades de negociação; Organização e transparência. E uma antiga e famosa de RH: Ao contratar uma pessoa, se houver dúvidas, pergunte a si mesmo: Você convidaria esta pessoa pra jantar com sua família?


É importante entender que o ambiente de trabalho necessita de relacionamentos harmoniosos, assim como na vida pessoal. Se seu candidato possui todas as qualidades anteriores, mas mesmo assim ainda há algo que não parece certo, recomenda-se que você pare um pouco mais, reflita bem e leve a sua intuição em conta.


Posturas que aprimoram a liderança


Perceba, escute e sinta o ambiente de trabalho da empresa e de seus colaboradores. Dessa forma, você vai conseguir atingir um nível de comunicação eficaz e refinado. Veja algumas dicas para tornar sua comunicação mais eficiente:


  • Demonstre interesse pelo que o outro apresenta;

  • Demonstre respeito;

  • Observe a linguagem corporal e a reação das pessoas com quem está se comunicando;

  • Repita o que foi dito e confirme o que foi entendido.


A comunicação só se efetiva quando você obtém o resultado esperado. Transmitir uma informação não significa que a mensagem foi compreendida. Fique atento e escute com atenção o feedback que a pessoa fornece como consequência do que você quis transmitir.


Feedback


A comunicação do líder com os colaboradores da empresa envolve o feedback. Feedback é o processo de fornecer informações a uma pessoa ou grupo, com o objetivo de ajudar os colaboradores a melhorar seu desempenho para que atinjam seus objetivos.


1. Por que fornecer feedback?


O feedback tem duas funções básicas: reforçar e corrigir comportamentos. Ao reforçar um comportamento, o líder comunica ao colaborador que ele está no caminho certo para que desenvolva as atividades com mais confiança e autonomia. Quando o colaborador não tem clareza de que está desenvolvendo as tarefas de forma correta e dentro do esperado, ele pode se sentir inseguro e não ser eficiente. Esse tipo de feedback deixa o colaborador mais seguro nas atividades que desempenha.


Ao corrigir um comportamento, o líder comunica ao colaborador o que está inadequado no comportamento dele para que ele possa mudar. Muitas vezes, as pessoas não dizem ao outro que o comportamento ou o desempenho dele não estão dentro do esperado, simplesmente porque acham que essa percepção é óbvia. Contudo, quando não recebe esse tipo de feedback, o colaborador continua agindo da forma inadequada, sem ter a chance de se reposicionar e melhorar seus resultados.


Como saber se você é um bom líder?


Cada um de nós tem o potencial de se tornar um líder que inspira, coordena e motiva as outras pessoas. Nos próximos parágrafos, iremos descobrir qualidades que demonstram uma grande figura de liderança. Leia-os olhando pra si e descubra se você é já é um líder e nem ao menos sabe.

O desafio da liderança é ser forte, mas não rude; ser gentil, mas não fraco; ser ousado, mas não um valentão; ser humilde, mas não tímido; ser orgulhoso, mas não arrogante; tenha humor, mas sem loucura. Jim Rohn
  1. Você é de fácil acesso. Ser acessível é uma qualidade importante para um líder. Se você percebe que seus colegas lhe pedem conselhos e o buscam para dividir raciocínios e estratégias, é sinal de que as pessoas não só confiam em sua opinião, como também sentem-se à vontade para se expor com você.

  2. Você é assertivo. Muito seria descomplicado em ambientes de relações interpessoais se as pessoas se comunicassem de maneira assertiva. É muito comum confundir assertividade com agressividade, o que não é, nem de perto, parecido. Ter a proficiência em comunicar-se com clareza, honestidade e seriedade não é o mesmo que ser mal educado ou demasiadamente áspero.

  3. Assume responsabilidades. Você faz o que precisa ser feito e não o que é mais fácil. Existem dias em que você não sente vontade de trabalhar ou lidar com quaisquer problemas eventuais. Nestes dias, você deixa seus sentimentos de lado e faz o trabalho do mesmo jeito. Isto é chamado de “responsabilidade”. Se você assume e as cumpre, sinta-se orgulhoso. Um líder assume responsabilidades, mesmo que ninguém mais as queira.

  4. Você se mantém calmo, mesmo em situações desafiadoras. Manter a postura profissional é uma qualidade excelente que muitos líderes possuem e muitas empresas desesperadamente procuram. Pessoas são muito nervosas, ansiosas e estressadas. Especialmente em ambiente de trabalho. Se você consegue manter o tom de voz em uma discussão, ou deixar o racícionio lógico funcionando em momentos de pressão, parabéns: Você já mais paciente e funcional que a média.

  5. Possui mente aberta. Se você, mesmo em uma posição de maior responsabilidade, ouvi o que as pessoas têm a dizer e as leva, sinceramente, em consideração, você possui um raríssimo predicado que o torna um líder em potencial.

  6. Trata as pessoas com igualdade, em qualquer ocasião. Um bom líder não traz o seu mau humor no trânsito para as suas relações de convivência. Tampouco leva escolhas de pessoais, ou fofocas pejorativas obstruíram sua visão sobre as pessoas e o respeito que eles demonstram.

  7. Você ajuda as pessoas, mas não espera retorno. Um grande líder reconhece que possui em si mesmo uma capacidade de visão otimizada. Por diversas vezes, você se depara com situações onde você pode oferecer ajuda pra alguém e talvez nunca ouça um ‘obrigado’, ou ganhe qualquer crédito por isso. Mas uma figura de liderança entende que resolver problemas e manter a equipe funcional é a prioridade.

  8. Embora você seja confiante, não tem medo de pedir ajuda. Ninguém é perfeito. Nem os melhores líderes. Eles são confiantes em suas escolhas, mas entendem o valor da diversidade de opiniões e raciocínio. Assim, nunca hesitam em pedir ajuda ou, simplesmente, uma nova perspectiva.

  9. Você entende as qualidades dos obstáculos. Energia positiva é um fator determinante para superar objeções e contornar obstáculos. Seu time precisa disso. Os melhores líderes provêm este tipo de energia. Eles encaram os problemas como oportunidades e os erros como lições. Erros sempre irão existir e um bom líder sabe que não há grande valia em lamentações e sim, no aprendizado decorrente.


Faça o download abaixo das principais características de um bom líder:


Principais_características_de_um_bom_líd
.
Fazer download de • 120KB




Programa de Desenvolvimento de Líderes (PDL)


O Programa de desenvolvimento de líderes (PDL) é um conjunto de processos realizados para promover competências fundamentais em profissionais da empresa. Ele visa reunir conteúdos teóricos e atividades práticas para proporcionar experiências importantes aos colaboradores. Dessa forma, é possível promover mudanças positivas nos comportamentos deles.


O PDL tornou-se fundamental nas corporações devido ao aumento da preocupação de se desenvolver e promover novos líderes no ambiente de trabalho. Assim, ao reconhecer o papel da liderança, uma das ações do RH passou a ser colocar em prática esse tipo de programa.


Dessa forma, as empresas conseguem contar com equipes mais produtivas e eficientes. Os times passaram a ser liderados por pessoas criativas, proativas e comprometidas com os resultados.


Os demais funcionários passam a formar times de sucesso, tornando-se mais motivados e influenciados positivamente a atingirem as expectativas e estratégias da organização.


1. Quais as vantagens do PDL?


Por meio do Programa de Desenvolvimento de Líderes (PDL), as empresas conseguem aplicar técnicas e estratégias avançadas para implementar mudanças pessoais e profissionais em seu time.  


As práticas do PDL são pensadas de acordo com as necessidades de cada negócio. Elas permitem ampliar o autoconhecimento dos funcionários por meio de novas ferramentas que o apoiam em sua jornada como líder.


Dessa forma, ao desenvolver o programa, os participantes conseguem melhorar suas relações com os demais colaboradores e com seus superiores. Eles desenvolvem habilidades, como melhorias na comunicação, na motivação e na sua produtividade.


Com um programa de desenvolvimento de liderança para sua equipe, a empresa proporciona benefícios para os dois lados. Ao mesmo tempo, oferece a oportunidade para o profissional desenvolver as habilidades requisitadas. Dessa forma, ele pode progredir na organização, como crescer profissionalmente.


O PDL também proporciona outras vantagens para os negócios, como na motivação e retenção de talentos. Por meio dele, os funcionários passam a valorizar mais seu trabalho, visando se tornar futuros líderes. Além disso, sentem-se mais conectados aos negócios, entendendo como seu trabalho agrega valor para a empresa.


Para construir um programa bem-sucedido, é necessário seguir alguns passos para estruturar o treinamento. No entanto, primeiramente, a empresa precisa identificar aqueles funcionários que desejam se tornar futuros líderes e possuem o perfil pra isso.


2. Como identificar líderes em seu time?


Antes de mais nada, o RH precisa identificar o potencial de liderança entre os membros da equipe. Os profissionais aptos para essa missão devem possuir algumas características específicas.


A inteligência emocional dos funcionários deve se destacar no momento da escolha dos profissionais que participarão do programa de desenvolvimento de líderes. O motivo disso é simples, os líderes precisam lidar com pressões, cobranças e gerenciamento de pessoas todos os dias. Por isso, precisa ter um controle emocional para ser capaz de exercer todas essas funções, ao mesmo tempo que motiva e dá o exemplo para todos.

Se suas ações inspiram os outros a sonhar, aprender mais, fazer mais e se tornar mais, você é um líder. (John Quincy Adams)

Portanto, iremos parar por aqui pois o assunto é extenso. É bom deixar bem claro que não existe perfil de líder melhor que o outro. A efetividade de uma liderança depende de vários fatores como a cultura da empresa, perfil de liderança etc.


A RHEIS Consulting possui ferramentas e metodologias para ajudar você e sua empresa no desenvolvimento de novos líderes (PDL) e na capacitação dos gestores em sua liderança. Conte com a gente!


Leia também: Gestão de Pessoas.

 


Sugestão de Livros:



989 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page