top of page

Autoconhecimento

O autoconhecimento, segundo a psicologia, significa o conhecimento de um indivíduo sobre si mesmo. A prática de se conhecer melhor faz com que uma pessoa tenha controle sobre suas emoções, independente de serem positivas ou não.


Tal gestão emocional provocada pelo autoconhecimento pode evitar sentimentos de baixa autoestima, inquietude, frustração, ansiedade, instabilidade emocional e outros, atuando como importante exercício de bem-estar e ocasionando resoluções produtivas e conscientes acerca de seus variados problemas.

Você já olhou no espelho e já se perguntou se está no caminho certo? Se tens tomado as atitudes corretas? Se sabes exatamente aonde queres chegar? O que lhe motiva? Se ainda não fizestes estas e outras perguntas para si mesmo, se ainda não tivestes interesse, é preciso olhar mais para dentro de você, se autoconhecer, descobrir suas verdadeiras qualidades e começar a entender o que na sua personalidade que pode e precisa ser melhorado.


Neste processo poderás encontrar dificuldades e desafios emocionais, medos ou crenças que limitam a(s) sua(s) conquista(s) e/ou meta(s). Para tanto, é de extrema importância estar disposto a derrubar barreiras e se abrir para novas possibilidades.


Fazer uma viagem profunda ao seu “verdadeiro eu” não é uma tarefa fácil, mas é essencial para alcançar o sucesso pessoal e profissional; porém, fazendo isso é possível desenvolver o que for necessário, melhorar suas habilidades sem interferir naquilo que está bom ou de acordo com a sua opinião. Desvendar na totalidade de suas potencialidades para chegar onde quiseres.


A importância do autoconhecimento


Ter autoconhecimento também é essencial para entender o que vai mal nos projetos e relacionamentos, tanto pessoais quanto profissionais com intuito de melhoramento e superação.


A partir do autoconhecimento, poderás entender ou a perceber o seu ambiente e as pessoas que estão ao seu redor - uma visão mais sistêmica. Começa também a traçar planos e objetos alinhados ao seu perfil, como por exemplo quantos que querem ser advogados, mas queriam ser médicos. Ou seja, perderam tempo, dinheiro, energia por não se conhecer.


Portanto, conhecendo a si mesmo você consegue traçar planos para onde queres chegar.


Como faço para exercitar o autoconhecimento?


Comece a questionar-se, entender o que lhe motiva, o que lhe incomoda. Comece a fazer perguntas a si mesmo como o porquê disso ou daquilo. Esteja aberto a novas possibilidades, aberto a novas oportunidades que lhe façam bem, com isso terás mais consciência de suas preferências e tomarás mais decisões assertivas.


Pergunte as pessoas que estão a sua volta. Perguntas do tipo: Quem sou eu? Quais são os meus comportamentos? etc. Veja as suas relações com seus amigos, familiares, colegas de trabalho. Quais as atitudes, palavras, gestos que os incomodam e quais que enriquecem, por exemplo. Saber respeitar as diferenças, pensamentos contrários, a visão do outro, é primordial para um bom relacionamento interpessoal e ajuda no desenvolvimento do autoconhecimento. Treine a autopercepção sempre.


A ajuda de um profissional de Psicologia ou até mesmo um Coach, poderá lhe ajudar neste processo. Há também o uso de tecnologia que auxiliam este processo.


Ao longo da sua jornada poderás passar por experiências positivas ou negativas aos seus olhos, mas aprendei e retende o bem, avalie cada uma dessas experiências e o que elas lhe ensinam.


Autoconhecimento e inteligência emocional: entenda a relação dos dois


Qual é a relação de autoconhecimento e inteligência emocional? Para começar a entender, é importante saber que a inteligência emocional tem quatro pilares:

  • Perceber emoções (suas e dos outros);

  • Raciocinar a partir do que dizem as emoções (também suas e dos outros);

  • Entender o que as emoções significam;

  • E gerenciar elas.

É daí que vem o primeiro ponto da conexão. Ter um bom nível de autoconhecimento ajuda a interpretar as próprias emoções, entender o que elas, de fato, querem dizer, fazer conexões com outros traços da sua personalidade, e, então, lidar da melhor forma com elas.


Então, para começar a se conhecer melhor e desenvolver a inteligência emocional, tente praticar uma auto-observação frequente em relação às suas emoções. Aprenda a identificar em você as emoções básicas e como elas se manifestam no dia a dia.


De outro lado, os principais aprendizados oriundos do esforço de se autoconhecer só são devidamente absorvidos quando se aceita sentir e falar sobre dor, vergonha, medo, etc., emoções negativas de forma geral. Ou seja, quando se é vulnerável.


A vulnerabilidade é o próximo link do autoconhecimento com a inteligência emocional. A vulnerabilidade, ou se colocar em posição de exposição emocional, é grande responsável pelas conexões mais profundas que fazemos.


Isso porque é muito mais fácil se identificar com pessoas que assumem erros, contam de momentos tristes e manifestam emoções. É bem mais difícil se conectar com pessoas que não transparecem nenhuma emoção ou fracasso; mostrar-se perfeito também é mostrar-se inatingível.


Por “se conectar”, você pode entender também “ter empatia”, – capacidade de enxergar as situações pela perspectiva dos outros –  um dos principais componentes da inteligência emocional. É ela uma das grandes responsáveis pela possibilidade de conexão significativa entre as pessoas.


O autoconhecimento ou a autoavaliação é um dos itens mais relevantes em nossos processos de desenvolvimento pessoal/profissional. A RHEIS Consulting possui métodos bem estruturados e tecnologia para lhe ajudar em processos de autoconhecimento. Consulte-nos.

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page