top of page

Os 5 Porquês: Uma Técnica de Análise de Problemas

A metodologia dos 5 Porquês é uma técnica de análise de problemas que visa identificar a causa raiz de uma questão ou defeito específico. Popularizada por Taiichi Ohno, um dos engenheiros da Toyota, essa abordagem é amplamente utilizada em diversos setores, incluindo manufatura, engenharia, gestão de projetos e desenvolvimento de software.


A simplicidade e a eficácia desta técnica a tornam uma ferramenta poderosa para a melhoria contínua e a resolução de problemas. Sugerimos aplicar esta técnica juntamente com o Diagrama de Ishikawa ou Espinha de Peixe.


"Não há melhoria se não há padrão" (Taiichi Ohno)

O Que São os 5 Porquês


Os 5 Porquês é uma técnica que consiste em perguntar repetidamente "Por quê?" para explorar as relações de causa e efeito subjacentes a um problema. O objetivo é chegar à causa raiz, ou seja, a origem fundamental que está gerando o problema. Normalmente, são necessárias cinco iterações de perguntas para se alcançar a causa raiz, embora esse número possa variar dependendo da complexidade do problema.


Como Aplicar os 5 Porquês


A aplicação dos 5 Porquês pode ser feita de forma simples e direta, seguindo estes passos:


  1. Defina o Problema: Comece identificando claramente o problema que precisa ser resolvido. Descreva-o de forma concisa e específica.

  2. Pergunte "Por quê?": Pergunte por que o problema ocorreu. A resposta a esta pergunta deve ser baseada em fatos e não em suposições.

  3. Pergunte "Por quê?" Novamente: Para cada resposta dada, pergunte novamente "Por quê?" Continue este processo até que a causa raiz seja identificada. Geralmente, são necessárias cinco perguntas, mas esse número pode variar.

  4. Verifique a Causa Raiz: Após identificar a causa raiz, verifique se ela realmente explica o problema. É importante garantir que não haja outros fatores que possam estar contribuindo.

  5. Implemente a Solução: Desenvolva e implemente uma solução para eliminar a causa raiz. Acompanhe os resultados para assegurar que o problema foi resolvido.


1. Exemplo Prático


Imagine que uma fábrica está enfrentando atrasos na produção devido a falhas frequentes em uma máquina específica. A aplicação dos 5 Porquês poderia seguir da seguinte forma:


  1. Problema: A produção está atrasada devido a falhas na máquina X.

  2. Por quê 1: Por que a máquina X está falhando? - Porque o motor está superaquecendo.

  3. Por quê 2: Por que o motor está superaquecendo? - Porque o sistema de resfriamento não está funcionando corretamente.

  4. Por quê 3: Por que o sistema de resfriamento não está funcionando corretamente? - Porque há um vazamento no tubo de resfriamento.

  5. Por quê 4: Por que há um vazamento no tubo de resfriamento? - Porque o tubo está desgastado.

  6. Por quê 5: Por que o tubo está desgastado? - Porque não foi realizada a manutenção preventiva adequada.


2. Vantagens e Limitações


Vantagens


  • Simplicidade: A técnica dos 5 Porquês é fácil de entender e aplicar, não requerendo ferramentas complexas.

  • Custo-Efetiva: Pode ser realizada sem a necessidade de grandes investimentos.

  • Eficácia: Ajuda a identificar causas raízes de problemas, permitindo soluções mais duradouras.


Limitações


  • Superficialidade: Pode não ser suficiente para problemas muito complexos, onde múltiplas causas raízes estão envolvidas, para isso utilize mais ferramentas em conjunto, como por exemplo o diagrama de Ishikawa.


Boas práticas de aplicação dos 5 porquês


1. Tenha um facilitador experiente


5 porquês parece simples, mas não é. É fundamental que seja facilitado por um profissional com vasta experiência na análise de causa raiz. Facilitadores, de preferência, devem ser neutros (como profissionais da qualidade). Logo, gestores de áreas envolvidas não são os melhores facilitadores.


2. Não faça individualmente


Um colaborador sozinho, mesmo que seja um gestor, não será capaz de fazer uma boa análise de causa com 5 porquês, por mais experiente que seja. A cadeia de causas pode envolver processos e setores que ele não conhece bem. Se não puder contar com profissionais, melhor não fazer.


3. Use evidências de apoio


Sempre apoie as respostas a um porquê em evidências, como dados, fatos, documentos e observações. Quanto mais elas forem verificáveis, mais precisa será a análise. Nunca baseie respostas na crença ou em suposições.


4. Saiba quando parar de perguntar por quê


Você deve parar de perguntar, ao perguntar o porquê de uma resposta anterior, você não consiga mais localizar causas. Isso, em geral, acontece no quinto por quê. Mas essa não é uma regra infalível. Eventualmente, você deverá perguntar mais do que cinco vezes ou, então, poderá parar antes de chegar no quinto. Portanto, só pare quando o problema não poder mais ser derivado de outra causa.


5. Documente junto com toda a ação corretiva


Formalize o trabalho realizado nos 5 porquês de forma clara e concisa. Comunique-o a partes interessadas, explicando como foi realizado e que ações podem ser tomadas para prevenir o problema. Ferramentas como o software Scoreplan vêm com a ferramenta disponível, além de outras para controle das ações.



Conclusão


A técnica dos 5 Porquês é uma ferramenta valiosa para qualquer organização que busca a melhoria contínua e a resolução efetiva de problemas. Sua simplicidade e abordagem direta permitem uma identificação clara das causas raízes, facilitando a implementação de soluções duradouras. No entanto, é importante estar ciente de suas limitações e, quando necessário, combinar essa técnica com outras metodologias de análise de problemas para obter resultados mais abrangentes.


Em resumo, os 5 Porquês não apenas ajudam a resolver problemas imediatos, mas também promovem uma cultura de investigação e melhoria contínua dentro das organizações.



6 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page